Médico especializado em fertilização alerta sobre os riscos da inseminação caseira

Processo feito em casa pode resultar em doenças sexualmente transmissíveis como cistite, endometriose e malformação genética do feto

A ansiedade e pressa. Esses dois fatores estão presentes quando casais, ou pessoas que optam por uma produção independente, querem o quanto antes realizarem o sonho de carregar um filho nos braços. Para baratear custos ou encurtar caminhos, há quem abra mão de métodos científicos e seguros e optam por alternativos, como a inseminação caseira. Entretanto, a maioria desconhece os riscos envolvidos quando o procedimento não é realizado por profissionais especializados.

De acordo com o médico Armando E. Hernandez- Rey, especialista em infertilidade e endocrinologia reprodutiva e diretor clínico da Conceptions Flórida, todos os inúmeros exames e estudos minuciosos são fundamentais para que se possa chegar, de forma saudável, ao resultado esperado. “Causa muito espanto o crescimento de um movimento incentivando mulheres a praticarem inseminação caseira. Elas não fazem ideia do perigo a que estão sendo expostas, desde problemas como endometriose, cistite até DSTs, sem contar os riscos ao feto devido à falta de cuidados com o esperma e a ausência de testes genéticos”, alerta.

Há quem forneça exames que comprovem o atual estado de saúde, mas somente um especialista pode comprovar a sua autenticidade. “Como saber se são verídicos? O barato pode custar a sua vida, seu sonho, bem-estar além de implicações jurídicas futuras”, destaca Armando.

Há diversas implicações ao se fazer um procedimento caseiro. “Nasclínicas, além de serem realizados uma extensa avaliação do homem para doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), o esperma é processado para que seja mais eficiente. Fazer por conta própria raramente dá certo, uma vez que não são removidas as prostaglandinas, um componente químico que causa contrações, dificultando o caminho do espermatozoide dentro do útero”, explica o especialista.

Inseminações em geral possuem apenas 20% de chances de sucesso em mulheres sem problemas de fertilidade. “São necessárias várias tentativas em sequência, mesmo dentro do período fértil”, revela Armando.

Outro ponto que deve ser levado em consideração são as questões genéticas. “As pessoas também deveriam considerar este tema, especialmente em se tratando de populações semelhantes”, alerta o diretor da clínica Conceptions Flórida. A falta de mistura genética geralmente resulta em problemas congênitos, e isso é um risco uma vez que um mesmo homem poderá engravidar diversas mulheres numa região pequena, ocasionando problemas futuramente quando esses bebes tiverem seus filhos.

Segundo o especialista em reprodução e endocrinologista, uma família normalmente tem alguns genes recessivos e outros dominantes presentes e todos os seus integrantes. Quando esses genes se juntam (recessivo com recessivo e/ou dominante com dominante), surgem os problemas genéticos. “Além disso, ainda há uma baixa variedade genética, que acentua as características específicas de uma população, por exemplo, maior risco de doenças cardíacas, certos tipos de câncer, problemas renais, dislipidemia, etc “, ressalva.

Por todas essas questões citadas, o mais seguro para quem busca um doador é recorrer aos centros de saude especializados porque o processo de fertilização in vitro permite remover algumas células de um embrião e testar as reais condições genéticas antes de transferir para o útero, através de processos como oMapeamento Genético Pré-Implantação (PGS) e o Diagnóstico Genético Pré-Implantação (PGD), que estão se tornando cada vez mais comuns em pacientes que estão no processo da FIV.

Enquanto o PGD permite checar para problemas mais específicos, como anemia falciforme ou fibrose cística, o PGS rastreia mutações genéticas, como Síndrome de Down ou Klinefelter. A verificação é indicada nos casos de idade materna avançada, acima de 38 anos, pacientes com repetidas FIVs frustradas, abortos recorrentes e aqueles que possuem translocações cromossômicas.

Sobre o médico Armando Hernandez – Rey

É um professor clínico assistente na Universidade Internacional da Florida – Herbert Wertheim Faculdade de Medicina e trabalha como revisor na prestigiada Fertilidade e Esterelidade. Ele também publicou diversos artigos e capítulos na literatura médica.

Sobre a clínica Conceptions Florida

Dr. Armando Hernandez-Rey e Dr. SinemKaripcin fizeram sonhos serem realidade para centenas de famílias. Eles se orgulham de oferecer sua atenção pessoal a todos os pacientes. O consultório fica no Merrick Park em Coral Gables e é o único laboratório da Flórida que oferece tecnologia LifeAire®, método que provou aumentar as taxas de gravidez em 20% e diminuir as taxas de aborto espontâneo. Para saber mais, acesse http://www.conceptionsflorida.com/IntheNews ou nas redes sociais www.facebook.com/conceptionsfloridabrasil/ , instagram: conceptionsfloridabrasil/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *