Nobres, o despertar para o turismo

Município mato-grossense se firma como importante polo turístico do Estado e ganha a fama de “lindo”, ou seja, é “mais do que Bonito”

Por Adelido Lucena, da Editoria

O pequeno município de Nobres, com pouco mais de 15 mil habitantes, localizado a 140 km ao norte de Cuiabá, na transição do Cerrado com a Amazônia, é o lugar certo para o turista que quer se aventurar em cachoeiras, mergulhos e grutas, ver aves que se destacam num paraíso de fauna e flora e um habitat natural de várias espécies de peixes e animais. Tudo num cenário suntuoso de paredões e morros, já no trajeto para Vila do Bom Jardim, como um prefácio que evidencia as belezas naturais da região. Tem também banho de cachoeira, tirolesa e até mesmo mergulho com peixes.

Enfim, a combinação que fez a fama de Bonito (MS), como um dos pontos turísticos mais atrativos do Brasil, também surge em Nobres, em Mato Grosso. A cidade está ficando conhecida no meio turístico por possuir muitas belezas naturais como águas cristalinas e grutas, além de sítios arqueológicos que chamam a atenção com suas pinturas rupestres, atraindo a curiosidade dos amantes de História. Só que em Mato Grosso o local ainda é pouco explorado, apesar de estar próximo a Chapada dos Guimarães, um dos destinos turísticos mais procurado do Estado.

É mais que Bonito, é lindo!

Foi somente no final de 2012, quando o asfalto chegou ao trecho da estrada que dá acesso à área onde estão as atrações turísticas no Distrito de Bom Jardim, facilitando o acesso dos visitantes, que cresceu o movimento de pessoas nos passeios que exploram águas cristalinas, peixes em grande quantidade e atividades como visitas a cavernas e rafting. Não foi à toa que o governador de Mato Grosso, Pedro Taques, ao inaugurar no mês de dezembro de 2016 a pavimentação da MT-241, no trecho que liga Nobres ao distrito de Bom Jardim, tenha dito em tom de brincadeira “Nobres é mais que Bonito, é lindo!”.

Rivalidade do turismo e do Estado contra o irmão mais novo, escancarada na fala do própio governador de Mato Grosso à parte, eu confirmo: o município de Nobres é realmente lindo. E sempre foi. Na minha visão desde o final do século passado, há mais 20 de anos, quando estive lá fazendo uma reportagem para o jornal de um amigo meu. Hoje, confesso que fiquei verdadeiramente “grogue” com a quantidade e qualidade dos atrativos ainda inexplorados que preservavam e ainda preservam uma natureza primitiva. Belezas naturais que vi, principalmente no distrito de Bom Jardim, onde era difícil chegar, pois as estradas que ligavam a região à sede do município, onde passa a BR-163, rodovia asfaltada e que liga Nobres à capital do Estado, eram de terra batida.

Não foi à toa que o governador de Mato Grosso, Pedro Taques, ao inaugurar no mês de dezembro de 2016 a pavimentação da MT-241, no trecho que liga Nobres ao distrito de Bom Jardim, tenha dito em tom de brincadeira “Nobres é mais que Bonito, é lindo!”.

Atualmente, uma visita à região está mais fácil. O asfalto chegou ao distrito de Bom Jardim, onde fica grande parte das atrações turísticas. São lagos cristalinos repletos de peixe, ideais para mergulho e flutuação, sendo o primeiro uma modalidade de esporte em expanção em Mato Grosso. E se tudo isso não bastasse, ainda tem a mais famosa das atrações turísticas de Bom Jardim, que é o Aquário Encantado, natural e com águas transparentes, onde é possível fazer flutuação e mergulho, podendo ver uma quantidade impressioante de peixes nativos.

A Bonito mato-grossense

A propósito, a qualidade e grande quantidade das atrações turísticas do distrito de Bom Jardim, chamaram a atenção do site nacional Catraca Livre, que em matéria publicada em março do ano passado, comparou a região de Bom Jardim a Bonito, Mato Grosso do Sul, exaltando a região pelos seus rios de águas cristalinas, grutas e cachoeiras, lembrando que, em questão de atrativos turísticos, e apesar de ter as mesmas condições do seu rival de Mato Grosso do Sul, o município de Nobres tem sido “menos explorado e ainda é pouco conhecido”. Mas se comparado a Bonito, o atrativo mato-grossense, apesar de “menos explorado” e “ainda pouco conhecido”, tem sido exaltado pelos seus rios de águas cristalinas, grutas e cachoeiras.

No entanto, Nobres ainda convive com a falta de infraestrutura para o turismo, mesmo com o município localizado a poucos quilômetros de Cuiabá e sendo considerado um paraíso natural. Os sucessivos governantes que passaram pelo Palácio Paiaguás (sede do governo de Mato Grosso) nunca ligaram para o fato de que a cidade de Bonito (MS) não foi a única contemplada no Centro-Oeste com belezas naturais perfeitas. Próprias para o ecoturismo e que vem ganhando aos poucos o reconhecimento – eu digo: mais que merecido – daqueles que buscam destinos que propiciam contato com a natureza.

Eu, que conheci Nobres há pouco mais de quatro décadas, do alto dos meus 85 anos de idade, posso afirmar agora, com segurança, que a região, um bocado escondida e ainda pouco conhecida, abriga a pequena cidade que preserva ares interioranos e atrações turísticas rodeadas de verde, com muitas belezas naturais.

O Melhor de Viagem e Turismo

É fato. Com tantos atrativos turísticos – a maior parte fica no distrito de Bom Jardim – o município de Nobres pode ser comparado a Bonito, só perdendo para este na parte relacionada a sua infraestrutura ainda tímida. E isso não significa pouca coisa não. Tanto é verdade que a região de Bonito, mesmo sem apresentar nenhuma atração exoturísticas a mais do que o município de Nobres, foi escolhida – 2015/2017 – mais uma vez como vencedora do “Prêmio O Melhor de Viagem e Turismo” no Brasil, concedido numa parceria da Revista Viagem e Turismo com o Guia Quatro Rodas, da Editora Abril.

Portanto, não é de admirar que o Governo do Estado busque alavancar recursos para andamento dos projetos da região, além da construção de novos. Exemplo disso é o Fungetur, linha de crédito da Desenvolve Mato Grosso, cujo objetivo é incentivar e apoiar as atividades do setor turístico mato-grossense, por meio da liberação pelo Ministério do Turismo de cerca de R$ 5,5 milhões para financiar projetos de até R$ 200 mil. E mais: segundo informação do secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Carlos Avalone, os empreendimentos maiores também poderão receber investimento do governo federal. Para isso, o Ministério do Turismo assegurou até 50 milhões por meio do Fundo de Desenvolvimento do Centro Oeste (FCO).

Com esses recursos e demais que possam atender as demandas do município e que serão viabilizados por várias Secretarias de Estado, segundo afirmou o governador Pedro Taques em julho ano passado, a meta é tornar Nobres referência em turismo no Brasil, dada a variedade de belezas naturais na região. “Toda a equipe do governo, principalmente as secretarias de Infraestrutura e de Turismo, devem dar prioridade às obras ligadas ao potencial turístico de Nobres”, assegurou na ocasião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *