Happer Vera Veronika canta a negritude e periferia brasileira em disco “Afrolatinas”

Com mais de 25 anos de carreira, Vera Veronika lança um novo disco. Incluindo as versões únicas criadas para o DVD “Vera Veronika 25 anos”, o álbum “Afrolatinas” surge como mais um detentor de sucessos da rapper brasiliense, que versa em suas canções a raça negra e a luta e resistência da mulher da periferia. O álbum está disponível nas plataformas de streaming.

Brasília é o quadradinho dos diversos gêneros musicais e de artistas expoentes da música no país. Um desses talentos notáveis é a rapper Vera Veronika, que valoriza toda a cultura negra e o hip hop do Distrito Federal. Vera é um dos nomes célebres da cena brasiliense, e conquista o público pela versatilidade e polivalência nas canções sobre a classe baixa, a mulher e a negritude. “Afrolatinas” trata sobre esses temas com maestria.

O trabalho enaltece o lado humano de Vera. Mantenedora de abrigo infantil, pedagoga, empreendedora e consultora nas causas de Direitos Humanos, Vera Veronika sempre encontrou no rap a força necessária para lutar contra tudo o que parecia injusto. Desde o começo dos anos 90, a cantora é tida como voz ativa na história do rap nacional e inspira gerações de mulheres que se dedicam ao estilo musical. Sucessor de “Mojubá” (2017), o novo registro reúne letras corajosas que escancaram a outra face do Brasil.

As 12 faixas presentes no disco escrevem, por meio da arte e poesia, uma mensagem para um público específico, um nicho que compreende a ideia das músicas e reflete sobre cada verso escrito por Veronika. Entre os destaques estão “Minha Cor” e “Afrolatinas”, que falam sobre o povo negro, suas conquistas, lutas e a negritude feminina; “Marchemos” e “Mulher de Aço”, que canta sobre a importância da Marcha das Mulheres e narra o desafio de ser uma presença feminina no hip-hop, respectivamente; e “Heroínas de Geração”, pondo a mulher em pauta ao discutir suas lutas cotidianas na periferia.

As faixas desenham um Brasil atual que insiste em aparecer no cotidiano e noticiários. Assim como “Diversas”, uma crítica ao padrão de beleza imposto pela sociedade, em pleno equilíbrio com “De Volta às Origens”, que canta a diversidade cultural existente em Brasília. “Profissão Perigo” revela o cenário violento que atravessa a educação no país, da mesma forma que “Pátria Amada” critica a corrupção política. “Sem Poder Voar” e “A Posse” são faixas que narram a realidade periférica.

“Afrolatinas” conta com participações especiais de Moara, Rapadura, Rafinha Bravoz, Hadda, Martinha do Coco e Batuqueiras. O álbum já está disponível em todas as plataformas de música digital e foi baseado no DVD comemorativo “Vera Veronika 25 anos”, gravado em Brasília, que contou com 14 faixas, 11 clipes e a participação de mais de 215 artistas.

Acompanhe Vera Veronika em: www.veraveronika.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *