Inventores muçulmanos serão tema da Bienal do Livro de São Paulo

Estande da FAMBRAS celebrará as invenções de grandes muçulmanos que mudaram a vida da humanidade até os dias de hoje
São Paulo, 25 de julho de 2018 – As grandes invenções dos muçulmanos, que beneficiam a humanidade até hoje, serão celebradas pela Federação das Associações Muçulmanas do Brasil – FAMBRAS durante a 25ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, evento que acontecerá na capital paulista entre os dias 3 e 12 de agosto, no Palácio de Convenções do Anhembi.
No estande da FAMBRAS, os visitantes saberão mais sobre grandes mulheres e homens que contribuíram com ciências como a Astronomia, Aviação, Engenharia, Medicina, Navegação, Filosofia, Arquitetura e Matemática. “Mostraremos que, no século 10º, uma invenção árabe possibilitou a criação do que atualmente conhecemos como GPS: o astrolábio, até hoje utilizado nas navegações por ser o método menos falível. Ele foi inventado por uma mulher muçulmana”, ilustra o vice-presidente da Federação, Ali Hussein El Zoghbi. “Ibn Firnas, no século 9º, foi o primeiro homem a tentar voar – ele criou um planador que imitava as asas dos pássaros. A partir de seus estudos, foi criado, adiante, o avião. Esse é outro exemplo de um invento disponível em nosso estande”, ilustra Zoghbi.
Eles poderão, ainda, elucidar suas dúvidas sobre o Islam e levar para casa materiais esclarecedores, como livros e panfletos de apoio. “Aproveitaremos a oportunidade para mostrar, sem proselitismo, o que nossa religião prega, como a paz e a caridade”, completa o vice-presidente. “Por meio da informação, nossa intenção é desmistificar a religião islâmica e combater preconceitos e estereótipos”.
Conheça um pouco dos inventores muçulmanos:
IBN Firnas
Foi o homem responsável pelo primeiro voo controlado da humanidade, no século 9º, muito antes de Santos Dumont e dos irmãos Wright, num protótipo muito semelhante a uma asa-delta. Hoje, o aeroporto de Bagdá e uma ponte em Córdoba são nomeados em sua homenagem, pois foi considerado o primeiro homem a voar.
IBN Al-Haytham (965 d.C)
Esse iraquiano escreveu um livro de Óptica e se aventurou pelos campos de Astronomia, Matemática e Filosofia Religiosa. Foi o primeiro a utilizar a câmara escura, conceito que, além de ajudar no desenvolvimento da fotografia, refutava teorias de outros grandes pensadores, como Euclides e Ptolomeu, de que a luz era produzida dentro do olho humano e não refletida pelos objetos.
IBN Sina ou Avicena (980 d.C)
Grande cientista, Ibn Sina (ou Avicena) tem, dentre suas obras, o O Cânone da Medicina e O Livro da Cura. No século 10º, aventurou-se também pelos campos da Filosofia, Astronomia, Alquimia, Geografia, Psicologia, Teologia Islâmica, Lógica, Matemática, Física, e até da Poesia! Além disso, também identificou e descobriu o tratamento para doenças como a meningite. Foi autoridade máxima em assuntos médicos na Europa durante quase seis séculos e, por isso, era chamado de “príncipe dos médicos”. Alguns aparelhos cirúrgicos comuns, como sondas, tesouras, pinças e bisturis foram criados por outro médico muçulmano importantíssimo, o Al-Zaharawi, e Ibn Sina os aperfeiçoou para os tornar próximos ao que são utilizados hoje.
Mariam Al-Ljliya
Uma das mais importantes mulheres do Islam e do mundo árabe, essa cientista, matemática e astrônoma síria criou o astrolábio, equipamento amplamente utilizado na navegação e na astronomia para medir a altura dos astros acima do horizonte, a altura de uma torre ou a profundidade de um poço, especificar o tempo do crepúsculo ou nascer e pôr do sol. O astrolábio construiu as bases para a descoberta do GPS. Ele desenvolveu as ciências espaciais e, assim, permitiu que o homem chegasse à lua. O pai de Mariam, Kushiar Al Astrulabi, também foi um renomado astrônomo.
Zheng He (1371 d.C)
Esse muçulmano chinês é um dos maiores responsáveis por levar o Islam pelo país. Foi um importante almirante, que comandou a marinha chinesa durante a dinastia Ming, no século XV, e desbravou os sete mares antes mesmo de Colombo. Não é atribuída a ele, uma invenção específica, mas, diversas proezas na história da navegação, além da propagação ativa da religião e da construção de vilarejos muçulmanos e mesquitas.
Lançamentos: Gibi Khalil, contra a islamofobia, e livro “Discursos Diretos – Diálogos sobre o multiculturalismo religioso”, da adolescente Ana Clara Gonçalves Sampaio
A FAMBRAS levará dois lançamentos à Bienal de São Paulo:
Gibi Khalil, contra a islamofobia – Destinado a crianças e pré-adolescentes, o lançamento traz à tona a islamofobia e conta com o talento do roteirista Rogério Mascarenhas e da ilustradora marroquina radicada no Brasil, Malika Dahil, para transformá-la num gibi. Carlos Dias, diretor de marketing da FAMBRAS, avisa que o gibi “Khalil” será um presente a quem visitar o estande da entidade – que mostrará as grandes invenções dos muçulmanos. “Como a repercussão vem sendo positiva mesmo antes do lançamento, acreditamos que Khalil e sua turma poderão, em breve, protagonizar outras aventuras”.
Malika Dahil, que reside em Manaus, também estará no estande da FAMBRAS para uma sessão de autógrafos e entrevistas. Essa atividade acontecerá no dia 11 de agosto, sábado, das 16h às 18h, e no dia 12 de agosto, domingo, das 13h às 15h.
Discursos Diretos – Diálogos sobre o multiculturalismo religioso, de Ana Clara Gonçalves Sampaio –Ana Clara é uma adolescente mineira de 16 anos. Aos 14, ela recebeu, na escola, a proposta de participar de um debate sobre o Islam, o terrorismo e os estereótipos sobre os muçulmanos e decidiu usar a rede social Twitter para pedir a muçulmanos e não muçulmanos que mandassem seus depoimentos para ajudá-la no trabalho escolar. A partir desses textos e da riqueza surgida nessa atividade, ela decidiu reunir os depoimentos no formato de um livro, já que o conteúdo foi tão impressionante que desfez na menina e em sua turma da escola qualquer preconceito que havia contra o povo muçulmano.
A ideia do livro de Ana Clara chegou à Federação das Associações Muçulmanas do Brasil – FAMBRAS e a entidade decidiu apoiar o projeto, lançando a obra durante a 25ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo.
A tarde de autógrafos da obra “Discursos Diretos – Diálogos sobre o multiculturalismo religioso”, de Ana Clara Gonçalves Sampaio, acontecerá no dia 4, sábado das 16h às 18h. A jovem autora também estará à disposição da imprensa no local, pessoalmente, ou por telefone, em outras datas, para a concessão de entrevistas sobre seu trabalho.
Serviço:
 
FAMBRAS na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Data: de 3 a 12 de agosto
Horário: De segunda a sexta, das 9h às 22h; sábados e domingos, das 10h às 22h
Localização do estande da FAMBRAS: J-098
 Sobre a FAMBRAS
A Federação das Associações Muçulmanas do Brasil – FAMBRAS, foi criada há quase 40 anos. Atua nos âmbitos religioso, social, cultural, econômico e diplomático. Dentro destas esferas, desenvolve projetos que contemplam a divulgação do Islam e ações educacionais, culturais e assistenciais – tanto em benefício dos muçulmanos como das comunidades carentes do Brasil. Outras preocupações da FAMBRAS são ajudar a manter vivas as práticas do Islam e combater o preconceito aos muçulmanos por meio da informação.
O trabalho da Federação conta com o reconhecimento de renomadas instituições nacionais e internacionais. O apoio da FAMBRAS Halal – a primeira instituição certificadora Halal do Brasil, em operação desde 1979 – tem sido determinante para a concretização e ampliação dos projetos a cada ano. A certificadora é líder de mercado e realiza auditorias, abate, inspeção, supervisão de produtos e implantação do Sistema de Garantia Halal junto a indústrias e frigoríficos interessados em comercializar seus produtos especialmente para países árabes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *