Vereador mais votado de São Paulo, Eduardo Suplicy é, pela primeira vez, tema de documentário

“Quatro dias com Eduardo” revela os bastidores dos últimos dias da campanha de 2016 e encerra, no dia 3 de agosto, campanha de financiamento coletivo

O dia 2 de outubro de 2016 ficará marcado na história de São Paulo. Neste dia, uma das figuras mais carismáticas da política nacional e grande defensora de pautas relacionadas aos direitos humanos, se tornou o vereador mais votado até então na capital paulista e no Brasil, com 301,4 mil votos. “Quatro dias com Eduardo”, documentário que realiza até o dia 3 de agosto uma campanha de financiamento coletivo, registra como foram os últimos dias que levaram Eduardo Suplicy a esse feito e revela os bastidores de uma das eleições mais polêmicas dos últimos tempos.

O documentário de longa-metragem produzido por Glenda Almeida e dirigido por Victor Hugo Fiuza, é o primeiro filme a ser rodado sobre Eduardo Suplicy. “Quando conversávamos, nós ficávamos abismados de ainda não haver um filme dedicado a ele. Assim, com as eleições, decidimos que era a hora de observar Eduardo Suplicy de perto, e ajustar o foco para além de suas aparições midiáticas. O que nos movia era querer saber o que tanto o move há décadas de vida pública. Há quem diga que ele vive em outro mundo e nós queríamos saber que mundo era esse”, explica Glenda, que junto com o diretor, saiu do Rio de Janeiro para acompanhar a rotina do candidato em São Paulo.

Rodado em 2016, de forma independente, o documentário passou nos últimos anos pelo processo de montagem e edição. Com a campanha de financiamento coletivo, realizada por meio do site de financiamento coletivo Catarse, a produção do filme busca arrecadar fundos necessários para os custos de sua finalização e lançamento.

‘’Quando decidimos fazer um filme sobre o Suplicy, fomos à São Paulo achando que voltaríamos com um curta-metragem. Porém, quando começamos a decupar o material, chegamos à conclusão que essa história não caberia em poucos minutos. Como a estrutura para viabilizar um longa é mais complexa, não conseguiríamos seguir adiante sem conseguir recursos mais robustos. Pelo filme não ter nenhum envolvimento político-partidário, nesse momento de intensa crise política, acreditamos que o financiamento coletivo seria a maneira mais coerente para isso’’ diz Victor Hugo Fiuza, diretor do filme.

No documentário, os bastidores da campanha de Eduardo Suplicy e também de Fernando Haddad, que buscava à reeleição na cidade de São Paulo, se misturam à vida privada do político. Com 75 anos à época, o homem que já dedicou mais de 40 anos à vida pública, abre sua casa e mostra um pouco de sua rotina intensa, de seus amores e também de suas dúvidas e questionamentos.

Como contribuir? Para colaborar com o documentário é preciso entrar na página de “Quatro dias com Eduardo”, no Catarse e clicar em apoiar. Após isso, basta decidir o valor a ser doado e também se deseja ou não alguma recompensa. Depois, é só escolher a melhor forma de pagamento, que pode ser cartão de crédito, débito ou boleto bancário. Para finalizar o pagamento, é só se cadastrar na página e pronto! Quando o pagamento for confirmado, o realizador receberá uma notificação de confirmação.

Ficha técnica:

Direção: Victor Hugo Fiuza

Produção: Glenda Almeida

Direção de Fotografia: Tiago Rios

Som: Vanessa Negrini

Fotografia adicional e assistência de produção: Vitor Garcia

Serviço:

“Quatro dias com Eduardo”

Campanha no Catarse: https://www.catarse.me/quatrodiascomeduardo

Facebook: https://www.facebook.com/Quatro-Dias-Com-Eduardo

Instagram: https://www.instagram.com/4diascomeduardo/

Conheça mais sobre os realizadores:

Victor Hugo Fiuza

Com formação em Cinema e Antropologia da Arte, documentou diversos projetos de arte e cultura, como o Festival Multiplicidade, Travessias – Arte Contemporânea na Maré, FLUP – Festa Literária das Periferias, e grandes eventos musicais, como Rock in Rio, Sónar e a última turnê dos Rolling Stones no Brasil. Também realizou trabalhos para Os Paralamas do Sucesso, Anistia Internacional e Coca-Cola. Seu último curta-metragem, “Os Olhos de Cecília”, recebeu o Prêmio Cinema da Gema, no festival Visões Periféricas (RJ), além do prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cinema de Santo Ângelo (RS).

Glenda Almeida

Jornalista fluminense formada pela Escola de Comunicações e Artes (ECA – USP), especializada em conteúdo estratégico. Destaca seu estágio com Mônica Dallari, no projeto “A Redemocratização do Brasil segundo Dalmo Dallari”, a passagem pelo G1, sua atuação na 14 | Agência de Conteúdo Estratégico, em que cobriu diversos projetos de arte e cultura, como o Festival Multiplicidade, Travessias – Arte Contemporânea na Maré, FLUP – Festa Literária das Periferias e a última turnê dos Rolling Stones no Brasil, além da produção do curta-metragem “Uma História das Cores”, dirigido por Victor Hugo Fiuza.

Tiago Rios

Como diretor de fotografia, realizou trabalhos como os filmes “Duelo Antes da Noite” (2010), de Alice Furtado, curtas-metragens como “Solombra” (2016), de Pedro Henrique Ferreira, “Em Ruínas” (2014), de Maya Dikstein, “Carapebus” (2010), de Fabian Cantieri, entre outros; além das séries documentais dirigidas pelo premiado diretor Silvio Tendler: “Caçadores da Alma” (2012) e “Brasil Místico” (2014). Entre os últimos trabalhos em longa-metragem, se destacam os filmes “Doppelganger” (2018), de Domingos Oliveira, e “Planta Baixa” (2017), de Igor Angelkorte e Miwa Yanagisawa. Como curador, realizou a mostra “Paulo José – meio século de cinema”, em 2015, na Caixa Cultural RJ.

Vanessa Silva

Formou-se em Audiovisual pela USP e cursou Réalisation Audiovisuel pela ESAV de Toulouse. Hoje, aos 27 anos, vive e trabalha em São Paulo com Som Direto para audiovisual e participa paralelamente de projetos e coletivos independentes, como o ReconstruSom e o MQV.

Vitor Garcia

Formado em Rádio e TV pela Unesp, tem a imagem como matéria-prima para o seu trabalho, transitando entre a fotografia, o cinema e o vídeo. Foi assistente durante 4 anos em um dos maiores estúdios de fotografia de publicidade, moda e retrato, trabalhando ao lado de grandes fotógrafos para as agências de publicidade mais importantes do país. No cinema, trabalhou na montagem do curta documentário “Vida Madá” e do longa “Memórias da Resistência”. Nesse último, fez parte também da equipe de câmera, assim como no longa “Do Pó da Terra”, premiado pelo roteiro e fotografia, exibido em cinemas por todo o Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *