“Nossa esperança é pela retomada do estado democrático de direito”, diz Haddad em coletiva em MG

Em entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (29/08), em Belo Horizonte, Fernando Haddad, candidato a vice na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu porta-voz, falou sobre o modo democrático pelo qual Lula governou em seus dois mandatos e sobre como o ex-presidente pretende fazê-lo novamente.

“A nossa esperança é pela retomada do estado democrático de direito, porque o que há de mais nobre é a soberania popular, o direito do povo escolher seu presidente”, disse Haddad. O candidato a vice-presidente afirmou que confia nas autoridades brasileiras no que diz respeito ao cumprimento da determinação do Comitê de Direitos Humanos da ONU, que obriga o Estado brasileiro a garantir a Lula seu direito a ser candidato.

O ex-ministro da Educação de Lula lembrou a forma republicana por meio da qual o ex-presidente sempre governou o país, ao afirmar que Lula nunca discriminou estados governados por partidos da oposição, como era o caso de Minas Gerais. As gestões do PT sempre enviaram muitos recursos ao estado, diferentemente de Temer, que deixou Minas à míngua. “Quando Lula era presidente, eu nunca vi um governador de oposição reclamar de não receber recursos. Eu recebia ordem para tratar republicanamente a todos. Era o padrão Lula de governar”, reforçou o candidato a vice.

Encontro com reitores

Durante a coletiva, Haddad também falou de seu encontro, na manhã desta quarta-feira, com reitores de vários institutos e universidades de Minas. Nesse encontro, Haddad recebeu uma pauta de reivindicações e de reclamações devido à forma discriminatória como as instituições vêm sendo tratadas pelo governo Temer, quase colocando a perder boa parte dos avanços conquistados.

Haddad destacou que Minas Gerais foi um dos estados mais contempladospela expansão da rede de educação dos governos Lula e Dilma, tanto no ensino profissional quanto no superior e, agora, “tivemos uma perda muito grande de alunos que, por falta de apoio estudantil, abandonaram o curso, ou seja, um investimento perdido”. Ainda, segundo ele, “são coisas dramáticas que estão acontecendo na rede federal de educação e os reitores estão muito ansiosos pela retomada do diálogo com o governo federal, que não existe hoje, e pela retomada também dos projetos que foram desconstruídos nos últimos dois anos”.

Plano de governo

Haddad citou propostas do Plano Lula de Governo para as áreas de saúde, educação e segurança, em uma atuação conjunta entre governo federal e governo dos estados.

Na educação, o Plano Lula de Governo prevê avanços no ensino médio por meio de cooperação com a rede federal. Na saúde, será implantado o Mais Médicos Especialidades e, para a segurança, a ideia é a federalização da investigação de alguns tipos de crimes, liberando as polícias civis e militares dos estados para tratar da prevenção e de outros tipos de delitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *