Meu universo

Dia 29 de junho, uma sexta-feira que tinha tudo para ser igual as outras, mas foi este dia que o destino escolheu para me trazer você. Depois de um dia cansativo no trabalho peguei o ônibus para voltar para casa, depois de ter recusado o convite dos meus amigos que me chamaram para beber, festejar e jogar conversa fora. Naquele ônibus ao entrar me deparei com a beleza cativante de uma moça, e em uma fração de segundos os nossos olhares se encontraram. Logo depois de passar pela catraca fui em direção ao final do ônibus onde ela se encontrava. Tentei ficar o mais perto dela que pude, mas o ônibus estava lotado e eu não tive muitas chances. O olhar dela se compara aquela lua cheia que estava radiante sobre nossas cabeças. Ao olhar novamente para ela, ela abriu um sorriso que me iluminou, em seguida ela olhou para o celular. Deve ter recebido uma mensagem. Logo depois ela correu os olhos pelo ônibus. Talvez na falha tentativa de encontrar alguém ela suspirou ao não achar. Em seguida colocou o fone de ouvido e deu um sorriso. Eu daria tudo para saber o que ela escutava. Não queria que a noite acabasse só para poder admirar o universo de sentimentos e intensidade, que mesmo sem ela saber ela transmitia no olhar. Infelizmente ela se levantou, deu sinal e em pouco tempo o ônibus parou e antes de descer ela me deixou com a doce lembrança do seu sorriso que brilhava como os dias mais ensolarados de verão e que sempre estará a me iluminar.

“O que tem nesse teu olhar que eu tanto tento decifrar, mas me perco completamente ao procurar”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *