A quixotesca tríade bolsonarista levará o Brasil à escuridão

Por Rogério Marcos

Bolsonaro escolheu para ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, professor da Escola do Exército e da Universidade Federal de Juiz de Fora. Indicado por Olavo de Carvalho, o “filosofo” da direita que nunca estudou filosofia e está mais perto de ser astrólogo do que filosofo. Ricardo Véles se soma a outro indicado por Olavo de Carvalho, o Chanceler do Itamaraty, Ernesto Araújo, o mesmo que acredita que a Terra é plana e outras mitologias da idade média.

O objetivo do triunvirato, Olavo, Ricardo e Ernesto é um só: combater a “doutrinação marxista”. Vale dizer, Olavo de Carvalho não está preocupado em discutir filosofia, a complexidade de seus temas, a variedade de seus problemas e resultados. Ricardo Véles não está preocupado com a educação no país, seja pública ou privada, básica, média e de nível superior, seus conteúdos pedagógicos essenciais e mesmo enfrentar seus grandes desafios. E, muito menos, Ernesto Araújo está preocupado com os imensos desafios do país na área internacional.

Para a tríade, combate ao marxismo é o elemento primordial, único e essencial. A pergunta que não fizeram a si mesmo é quantas pessoas no país conhecem esse tal marxismo ou leram algum livro de Marx? Reduzem a educação a uma única escola de pensamento.

Ao escolherem a “doutrinação marxista” como objetivo de suas ações, ficarão como Don Quixote, combatendo moinhos de vento, pois escolheram um inimigo inexistente. Porque o que realmente tem que se combater no Brasil, seja no campo da educação, é o analfabetismo, a baixa, lamentável e vergonhosa taxa de leitura do brasileiro e o analfabetismo funcional que campeia entre profissionais e estudantes, pessoas que não entendem o leem, não sabem interpretar; seja no campo internacional, cuja grande tarefa do chanceler será a de “desconstruir” (conceito de Jacques Derrida, filosofo francês que Olavo dificilmente leu uma simples página) a visão que o mundo está tendo de nós após Bolsonaro ser eleito, de um país que caminha a passos largos para a escuridão.

Passados os anos desse trio, o país verá que serão somente loucos, nada farão, serão relegados aquele canto da história onde ficam os esquecidos.

* Rogério Marcos é advogado público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *