Criaturas Certas e cheias de razão

Por Álisson Lopes

Existe, sim, em outro lugar distante, criaturas sem empatia, sem gosto de ser solidárias e de aceitar que a existência não gira em torno unicamente da sua. Distante daqui existem seres emplumados com caldas imensas que para não arrastarem no chão suas belezas delegam as outras criaturas menos afortunadas à labuta de carregarem invariavelmente na posição curvada durante todas suas vidas. Nesta realidade longínqua é um extremo privilegio, a maior premiação para essas dedicadas criaturas conhecidas como pequenos servos, é a deformação que se cria em seu lombo depois de anos de dedicação.

As Criaturas Certas, sempre certas, absolutamente certas, estão eternamente dispostas a justificar e manter tal status. Elas se alimentam de outras criaturas, criaturas de sua mesma linhagem de evolução, mas, segundo elas, essas criaturas, sub-raça, não fizeram por merecer e tomaram caminhos semotos, sem glamour e status. Então hoje servem como refeição, caso contrário, caso tomassem os caminhos certos, dos Certos, seria canibalismo, selvageria, brutalidade devorá-las.

Os Pequenos Servos não são devorados. Recebem às vezes um olhar certo de aprovação dos Certos quase, bem perto mesmo, de agradecimento. Aliás os Certos controlam a sua ração, é balanceada para suprir estritamente a finalidade de carregar a calda, nem mais, às vezes menos, assim eles não crescem também. Embora para os Certos um pequeno servo, esguio, quase raquítico e bem curvado é ótimo para ostentar.

Os Certos, abastados e lindos, nesta existência remota, mantém a disposição das coisas inquestionavelmente imexíveis e defendem isso com enorme ferocidade. Tão certos e cheios de si, os Certos são intransigentes e dogmáticos.

Se pudéssemos comparar no âmbito do direito internacional, ou melhor intergaláctico, ou até sócio político e histórico, falta o artigo 5° da Constituição brasileira de 1988 para essas criaturas, entre outros artigos, nesta distante existência. Afinal, por aqui aprendemos com as guerras interimperialistas, as duas grandes guerras mundiais, com os estados totalitários nazistas, fascistas, stalinistas. Enfim, acredito que diferente deles, dos Certos, aqui compreendemos que qualquer guerra fratricida não tem sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *