Ferrovia Vicente Vuolo está na ordem do dia

Ainda está dando ainda muito o que falar a última reunião da bancada de Mato Grosso no Ministério da Infraestrutura, aquela em que o ministro Tarcísio de Freitas não compareceu e mandou que seu secretário-executivo, Marcelo Sampaio, recebesse a comitiva mato-grossense.

Outra reunião

Como já informamos, outra reunião ficou de ser marcada, agora com a presença do ministro. Sua ausência na anterior frustrou muito os membros do Fórum Pró-Ferrovia Vicente Vuolo, composto por 16 entidades, entre as quais a Aprosoja, o CREA-MT e, a Fiemt, cujos representantes estiveram na reunião passada.

Histórico

Mas o encontro, solicitado pelo senador Wellington Fagundes, foi proveitoso porque os membros do fórum puderam fazer um histórico aos membros do novo governo sobre o que é a Ferrovia Vicente Vuolo. Os dois filhos do senador que dedicou sua vida a levar a ferrovia para Mato Grosso fizeram suas intervenções. Francisco Vuolo, presidente do fórum, e Vicente Vuolo Filho, o Vuolinho, lembraram que a proposta existe desde o governo Geisel, que foi um entusiasta da luta de Vuolo.

Esclarecimentos

Foram feitos os esclarecimentos sobre a viabilidade econômica da Ferrovia Senador Vuolo, que liga São Paulo a Cuiabá, mostrando que o novo governo precisa priorizar esse projeto porque o grande padrinho foi o ex-presidente Ernesto Geisel que o sancionou. É uma ferrovia que tem vida, tem alma porque está sendo construída com a participação popular, pontearam os filhos do histórico senador.

Trilhos a Cuiabá

A grande questão da Ferrovia Vicente Vuolo é fazer seus trilhos chegar a Cuiabá. Não há unanimidade na bancada de Mato Grosso em relação a isto. Sobre esta situação falaremos nas colunas posteriores.

Cuiabá 300 anos

Quero parabenizar Cuiabá por seus 300 anos. É nela que moram todos os meus filhos. Foi nela que consolidei minha carreira, realizei sonhos, vivi muitos amores e me realizei em todos os sentidos. Cuiabá é a terra natal de José Samuel da Silva Negrão e Joaquim Felipe Baptista da Silva Negrão, meus filhos, e de Pedro Silva Lobo, meu neto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *