Dicas nutricionais para gestantes pós bariátricas

1 – Faça pelo menos três refeições (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches saudáveis por dia, evitando ficar mais de três horas sem comer. Entre as refeições, beba água, pelo menos 2 litros. Fazendo todas as refeições, você evita que o estômago fique vazio por muito tempo, diminuindo o risco de sentir náuseas, vômitos, fraquezas ou desmaios. Além disso, contribui para que você não sinta muita fome e exagere na próxima refeição. Os excessos podem causar desconforto abdominal, principalmente nos últimos meses de gestação, quando o útero está maior e comprime o estômago.

Beber água entre as refeições é importante para o organismo, pois melhora o funcionamento do intestino e hidrata o corpo.

2 – Evitar bebidas açucaradas, como refrigerantes e sucos industrializados, e bebidas com cafeína, como café, chá preto e chá mate, não substituem a água. Além disso, essas bebidas dificultam o aproveitamento de alguns nutrientes e precisam ser evitadas durante a gestação. Evite consumir líquidos durante as refeições. Isso reduz o sintoma de azia ou “queimação”. Após as refeições, prefira frutas com alto teor de líquidos, como, por exemplo, laranja, tangerina, abacaxi, melancia, entre outros. Evite deitar logo após as refeições. Dessa forma, pode-se evitar mal-estar e sensação de azia ou “queimação”

3 – Procure consumir diariamente legumes e verduras como parte das refeições e frutas nas sobremesas. Monte um prato colorido. Varie o tipo de frutas, legumes e verduras consumidos durante a semana. Consuma hortaliças verde-escuras, como couve, brócolis, agrião, taioba, rúcula, e outros coloridos, como mamão, abóbora, cenoura, laranja, acerola, tomate, caju, pitanga, pêssego, manga, jabuticaba e ameixa. Dê preferência a frutas, verduras e legumes crus, assim você obtém mais fibras na sua alimentação. Quanto aos sucos, os naturais de fruta, feitos na hora, são melhores fontes de nutrientes.

4 – Não se esqueça do Feijão. Os feijões e demais leguminosas são ricos em ferro. Sua ingestão frequente ajuda a prevenir a anemia. Para aproveitar melhor o ferro destes alimentos, consuma junto a eles frutas ricas em vitamina C, como: acerola, laranja, caju, limão, goiaba e outros.

5 – Consuma diariamente leite e derivados e carnes, aves, peixes ou ovos. (se for intolerante) utilizar Zero Lactose

6 – Retire a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação, tornando esses alimentos mais saudáveis. Leite e derivados são as principais fontes de cálcio na alimentação. Esse nutriente é necessário para o crescimento e desenvolvimento dos ossos e dentes. Carnes, aves, peixes e ovos fazem parte de uma alimentação nutritiva e são ricos em proteínas de boa qualidade e ferro. Também contribuem para prevenir a anemia.

7 – Procure consumir as fontes de cálcio em horários diferentes das refeições que contenham alimentos ricos em ferro (carnes e vísceras), com pelo menos duas horas de intervalo, pois consumir estes alimentos juntos pode atrapalhar o adequado aproveitamento deles pelo organismo.

8 – Diminua o consumo de gorduras. Fique atenta aos rótulos dos alimentos e prefira aqueles livres de gorduras trans. Reduza o consumo de alimentos gordurosos, como carnes com gordura visível, embutidos (salsicha, linguiça, salame, presunto, mortadela), queijos amarelos, salgadinhos, chocolates e sorvetes para, no máximo, uma vez por semana. O consumo excessivo desses alimentos está associado ao surgimento de obesidade, pressão alta e outras doenças do coração.

9 – Dê preferência ao azeite de oliva para temperar saladas, sem exagerar na quantidade.

10 – Não refrigerantes e sucos industrializados, biscoitos recheados e outras guloseimas no seu dia-a-dia.

11 – O consumo frequente e em grande quantidade de sobremesas aumenta o risco de complicações na gestação, como excesso de peso, obesidade, diabetes gestacional e pressão alta, que prejudicam o adequado crescimento do feto. Além disso, o excesso de açúcar está relacionado ao surgimento das cáries dentárias.

12 – Evite consumir alimentos industrializados com muito sal (sódio) como hambúrguer, charque, salsicha, linguiça, presunto, salgadinhos, conservas de vegetais, sopas prontas, molhos e temperos prontos. O consumo excessivo de sódio (presente no sal de cozinha) aumenta o risco de pressão alta, doenças do coração e rins, além de causar ou agravar o inchaço comum na gravidez. 9. Evite o fumo e o consumo de álcool, pois prejudicam a sua saúde, o crescimento do feto e aumentam o risco de nascimento prematuro.

13 – Pratique, seguindo orientação de um profissional de saúde, alguma atividade física. A alimentação saudável, a atividade física e a prática corporal regular são aliadas fundamentais no controle do peso, redução do risco de doenças e melhoria da qualidade de vida. Quando o Obstreta liberar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *